Vidro de Veneza: Arte, Técnica e Segredos dos Mestres do Vidro

A arte e as técnicas do antigo trabalho em vidro de Veneza

As técnicas de trabalho do vidro têm nomes diferentes e conhecê-los o ajudará a entender os segredos por trás do produto e o trabalho árduo do mestre que o executou.

Abaixo você terá uma lista de nomes técnicos que encontrará em nossos produtos no catálogo, aprenda a arte do vidro através dos termos corretos.
 
Soprado: como o nome sugere, os artesãos expandem e moldam o vidro, soprando ar em um longo barril de metal conectado a ele, conforme dita a tradição milenar de fabricação de vidro.
Esta ação milenar, combinada com a experiência e habilidade dos mestres do vidro, transforma o vidro simples em verdadeiras obras-primas artísticas, únicas.

Decorações: é escolhida durante a fase de design da obra e pode ir desde a personalização da borda do vidro até a inclusão de preciosas folhas de ouro na transparência do vidro. Na prática, essas são as aplicações adicionadas a quente pelo mestre na superfície do objeto, para torná-lo único, precioso e inimitável. 

Cédula:
 o artesão usa um molde de metal, com pequenas pontas em forma de pirâmide com base quadrada em toda a superfície interna de sua circunferência.
Ao soprar, o vidro preenche completamente o vazio e dá um efeito óptico particular de relevo cruzado.

Pinha: o mestre começa usando um molde de metal de formato evocativo, com pequenas pontas em forma de pirâmide com base quadrada em toda a sua superfície interna. No sopro, o metal expressa um efeito de relevo cruzado no vidro.

Batido : é a técnica onde a habilidade e a experiência do artesão são postas à prova. Caracteriza-se por uma superfície talhada à mão, graças a um rebolo, para fazer inúmeros pequenos sinais aparentemente irregulares.

Mão voadora:esta expressão indica o movimento ágil e experiente da mão do mestre vidreiro no trabalho a quente de um vidro precioso.

Pulegoso: obtém-se uma pasta espumosa , cheia de bolhas de ar irregulares, formadas pela união da pasta fundida com uma substância que provoca essa reação. Pulegoso é mais raro na iluminação, ainda que, devido ao efeito da luz, permita obter efeitos cromáticos notáveis.

Varetas: podem ser unicolores ou formadas com pastas de vidro de diversas cores, transparentes ou opacas, para infinitas variações. O elemento de vidro é desenhado e circular em seção. Os juncos geralmente são unidos para serem derretidos e soprados.O resultado é um objeto de maior valor, devido ao efeito final e à dificuldade de execução.

Incalmo: consiste no acoplamento a quente de duas formas sopradas ao longo de sua circunferência, de modo a obter no mesmo objeto o encontro sugestivo de áreas diferenciadas e, geralmente, de cores diferentes. Este é considerado um dos processos mais complicados.

Fasce: em um corpo central geralmente transparente um padrão de fios coloridos, mais precisamente denominado “Fasce”, é fundido a quente. Depois de os ter misturado cuidadosamente, cobre tudo com uma fina camada de cristal, obtendo assim um desenho cromático irregular e altamente eficaz.

Gravado:
 é executado com rebolo de pedra dura, com o qual é gravada a superfície fria do objeto quase acabado, seguindo o desenho do artista com absoluta precisão.

Murrine:  entre as mais antigas, remonta mesmo à época romana, recuperada em Murano no início da oitava década do século XIX. Consiste na união de varetas de vidro de várias cores em um desenho pré-estabelecido. O todo é então aquecido para formar um único barril, que é precisamente cortado em pequenos discos. Dispostos em uma ordem precisa, eles são aquecidos, trabalhados e soprados para obter a forma final do objeto.

Submerso: partindo de um vidro fundido ou maciço, permite obter múltiplas camadas sobrepostas de diferentes cores com um efeito de cor sugestivo. O vidro preso a um barril é imerso em cadinhos contendo vidros de cores diferentes. Às vezes, para aumentar o efeito decorativo entre as camadas de vidro, o mestre insere inclusões de folha de ouro, outros metais ou com bolhas de ar.

Rigadin: é uma decoração obtida pelo sopro da bola de vidro em um molde, geralmente de bronze, que possui ranhuras de seção triangular. O vidro dentro do molde torna-se estriado e, se for adicionalmente torcido, torna-se o Rigadin torcido.

7 pontos para tornar a realização de uma obra de vidro única

1º - Concepção e estudo do projeto

Os designers de vidro veneziano delineiam os modelos em papel que serão feitos pelas mãos de nossos mestres artesãos. Os designs podem retomar a tradição veneziana clássica ou propor novas ideias e estilos. O limite está apenas na mente do criador.

2 ° Escolha e uso de materiais valiosos e de qualidade

Somente escolhendo um material nobre do qual o vidro será obtido pode-se esperar a criação de uma autêntica obra de arte.
Os artesãos preparam a pasta de vidro por fusão a 1500 ° C e selecionam os pós para colorir. É um momento crucial para o sucesso do produto e nada pode ser deixado ao acaso.

3ª Decisão da técnica utilizada

A técnica a ser utilizada para a realização do nosso trabalho já está decidida no projeto, pois o mestre deverá conhecer cada passo e segredo para criar a obra da melhor forma.

4 ° Moldar o trabalho

Esta passagem é a mais conhecida onde a experiência e as habilidades do professor são as mestras. Normalmente em Veneza, as passagens que dão ao vidro as formas e características que desejamos no projeto também são admiradas ao vivo.
Um saber autêntico e artesanal, preservado por um milênio na cidade de Veneza e transmitido de geração em geração até os dias atuais.

5ª Melhoria: Coloração e Decoração

As mãos hábeis dos mestres artesãos aperfeiçoam lentamente seu trabalho criando padrões e harmonias à mão de acordo com os acabamentos exigidos. Flores, folhas, cachos em vidro “florescem” também em vidrados de diversas cores embelezando a obra acabada.

6 ° Tempera e Moagem

O produto ainda está quente e é colocado por muitas horas na "têmpera", um longo forno de resfriamento, até que sua temperatura baixe e fique pronto para a moagem. Nesta última fase os artesãos alisam e fazem o acabamento das superfícies de vidro, finalizando o trabalho.

7. Controle de qualidade

As verificações finais são feitas para garantir que tudo está em perfeita ordem, partimos para embalagens seguras e superresistentes.
Et voilà, temos nosso produto de vidro pronto e acabado.

O Mestre do Vidro - O artesão por excelência

Um mestre nasce do conhecimento de quem trabalhou o vidro antes dele, então a arte ano a ano, século após século, cresce, se desenvolve e adquire corpo, vontade e técnica.
No mundo do vidro não há escolas, apenas professores: os mais antigos mestres do vidro, guardiães de um saber que só se transmite por palavras e atos. Para proteger seus segredos.
Tanto que na época da República da Sereníssima os vidreiros foram autorizados a gozar de privilégios e imunidades fora do comum, mas obrigados a nunca sair da República, a fim de manter seus conhecimentos entre Murano e Veneza.
Ao longo dos séculos os mestres foram além das fronteiras do território veneziano, sem contudo abandonar as tradições de um comércio suspenso entre a sensibilidade artística e o saber manual, do qual só quem entende o equilíbrio perfeito está destinado a ser mestre.

La Fornace: lugar onde o vidro nasce e toma forma

Este lugar representa para muitos não um local de trabalho, mas um lar, uma fábrica de estímulos criativos que leva cada dia ao auge do seu eu interior. O mestre do vidro é tanto um artesão quanto um artista e como um artista ele precisa expressar o que tem dentro de si e é capaz de fazê-lo através do vidro. O processamento disso pode ser comparado à narração de uma história, tem um início, uma fase em que toma forma e um fim, muitas vezes com moral. O dia a dia do vidro exige dedicação, paciência e aplicação constante. Os mestres começam a trabalhar ao amanhecer, testando a resistência do vidro. Os instrumentos são os mesmos há séculos e cada mestre tem o seu.

O mais usado é o barril com o qual o ar é soprado na indescritível massa fundida, que é então processada rapidamente com alicates, hastes e tesouras.

Especialistas em mestres técnicos

Como escrito anteriormente, o mestre carrega consigo uma enorme bagagem cultural e de conhecimentos e por serem acima de tudo seres humanos, ser especialista em tudo é praticamente impossível, por isso com muita dedicação cada mestre aborda uma técnica de processamento que mais o envolve. . e isso o ajuda a se expressar.

Com o tempo e dedicação, a técnica passa a fazer parte do seu ser e lhe permite dar vida às suas obras como lustres, esculturas de vidro ou em todas as formas de iluminação.

As Cores do Vidro são o espelho da Alma do Mestre

São muitas as cores que podem ser utilizadas no vidro para lhe dar corpo e alma.
Mas o que determina a cor em vez de outra?
A temperatura externa e a umidade do ambiente, assim como o tipo de cozimento, podem afetar as tonalidades. A mudança enriquece a variante de cor única com ainda mais exclusividade, tornando cada trabalho ainda mais exclusivo.
A alta qualidade é o reflexo da busca constante pela perfeição e da paixão pela inovação que caracteriza cada fase da produção, em um equilíbrio perfeito entre o artesanato manual e a criatividade ousada, longe dos modismos passageiros tolos.
Email Newsletter
Assine a nossa newsletter
  • Piva IT 04187360401
  • Tel.+39 0541-623760 (21 linhas)
  • du lundi au vendredi 8.30-17.00
  • via del pino 21 - - 47822
  • Santarcangelo di Romagna (RIMINI) Italy
  • info@viadurini.pt
  • +39 373 9005839 & SMS/WHATSAPP
  • Os preços indicados incluem IVA